Página Inicial Imprensa Noticias Distritos de Morada Nova recebem água encanada

Distritos de Morada Nova recebem água encanada

Avalie este item
(0 votos)


Carros-pipa dão lugar a esquema adutor que garante água a comunidades de Morada Nova


Mais de mil famílias situadas na zona rural do município de Morada Nova comemoram neste sábado (05) a inauguração de um sistema adutor que garante a chegada de água às torneiras. A inauguração acontece em dois momentos diferentes: às 8h, na praça do Roldão, no distrito de Roldão, e às 10h na praça do Uiraponga, na localidade de Uiraponga, em Morada Nova.

As localidades de Uiraponga, Poço do Barro, Mota e Taboleirinho passam a ter acesso a água tratada graças à construção de um sistema adutor que interliga o Eixão das águas à Estação de Tratamento de Água de Morada Nova.

O secretário da Casa Civil, Nelson Martins, marcará presença na cerimônia de inauguração. Além dele, o presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque, e o presidente da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), João Lúcio Farias também estarão no evento.

São cinco sistemas adutores com mais de 15 km que garantem a chegada das águas. A Cogerh foi a responsável pela concepção e execução das obras. O investimento foi da ordem de R$ 3,1 milhões.” Tínhamos o compromisso de levar água para essas populações que estão situadas próximas ao Eixão das Águas. Estamos transformando esse sonho em realidade”, pontua o presidente da Cogerh, João Lúcio Farias. “Essa é uma determinação do governador Camilo Santana: que nós busquemos atender a todas as comunidades possíveis. E é isso que temos feito”, diz o presidente da Cogerh.


ESTRUTURA
O sistema adutor interliga o Eixão a estações de Tratamento de Água do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Morada Nova. A adução é feita por meio de tubulação de PVC. Embora construídos em caráter emergencial, em virtude do agravamento da estiagem, os sistemas se tornarão estruturantes, já que continuarão abastecendo as comunidades mesmo em tempos normalidade hídrica.

Ler 151 vezes