Notícias (3279)

 

Após demanda encaminhada pelo Comitê da Bacia do Baixo Jaguaribe, a gerência regional da Cogerh de Limoeiro do Norte, realizou nesta sexta-feira (20), em Russas, uma capacitação sobre a Legislação Estadual de Recursos Hídricos (Lei no 14.844/2010). O Decreto No 32.470/2017 trouxe novidades à legislação no tocante aos Comitês de Bacias Hidrográficas e Comissões Gestoras.

Um grupo de trabalho foi constituído para estudar e adequar o regimento. Cinco membros do comitê irão elaborar uma minuta com propostas de alteração do regimento do colegiado, que será submetido a aprovação da plenária em uma reunião extraordinária agendada para o próximo dia 24 de maio, no município de Russas.

Palestra

Márcia Caldas, Orientadora da Coordenadoria de Gestão de Recursos Hídricos, destacou os pontos regulamentados pelo Decreto, bem como os procedimentos que o colegiado deve adotar para realizar a atualização de seu regimento interno, pois de acordo com Decreto No 32.470, os colegiados devem, num prazo de 180 dias, realizar a adequação de seu regimento interno.

O evento contou com a presença de 35 entidades/instituições membros do colegiado, formado por representantes da sociedade civil organizada, usuários de água, poderes públicos municipal, estadual e Federal.

Após demanda encaminhada pelo Comitê da Bacia do Banabuiú, a gerência regional da Cogerh de Quixeramobim realizou, nesta quarta-feira (19), um seminário que tratou de gestão em Segurança de Barragens.

O evento focou na capacitação das instituições dos municípios da bacia, no que diz respeito a procedimentos e inspeção de Segurança de Barragens. A Lei Nacional de Segurança de Barragens (Lei 12.334/10) e a Portaria Estadual de Barragens N° 2747 SRH/CE/17 nortearam as atividades. O Seminário também cumpriu o papel de multiplicador de informação dentro do município.

Durante o encontro, foram abordados os preceitos da Lei Nacional de Segurança de Barragens (Lei 12.334/10) e da Portaria Estadual de Segurança de Barragens. Houve também a exposição sobre procedimento e inspeção de Segurança de Barragens, além de uma explanação dos dados espaciais dos municípios da Bacia do Banabuiú, ministrada pelo gerente Regional da Cogerh em Quixeramobim, Paulo Ferreira.

O grupo também recebeu capacitação para preenchimento do formulário do Cadastro Estadual de Barragens. Em seguida, visitaram o Açude do Jetro no município de Quixeramobim. O próximo passo agora é passar por uma capacitação dos softwares Google Earth e Qgis, no pŕoximo dia dez de maio, com curso ministrado pelo gerente da Cogerh, Paulo Ferreira.

seminariosegurança1

O evento contou com a presença de 74 participantes, com destaque os Sindicatos, SISAR, CAGECE, Federação das Associações Comunitária, Secretarias Municipais, Ematerce, MST, Defesa Civil e SAAE, com representatividade de 14 municípios.

 

 

Técnicos da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) da região de Crateús reuniram-se com a diretoria do Comitê da Bacia Hidrográfica da Serra da Ibiapaba, no município de São Benedito, para discutir e preparar a pauta da 20ª Reunião Ordinária do Comitê, marcada para o próximo dia 03 de maio.

Na ocasião, será discutida as alterações do novo estatuto que rege os comitês (Decreto 32.470 de 22 de dezembro de 2017). É que desde que o regimento interno dos Comitês de Bacia sofreu alterações, grupos de trabalho foram formados para adequar as novas especificações previstas no documento.

As atividades foram conduzidas pelo núcleo de gestão da Cogerh/Crateús. Estiveram presentes, ainda, a técnica Edna Nascimento e os representantes do comitê da Serra da Ibiapaba,  presidente do comitê, Jaime Fonseca, a vice-presidente do comitê, Nataly Veríssimo, o secretário, João Moita, e o representante suplente da Cagece, Pedro Florindo.

 

Ocorreu em Tauá, no último dia 10 e 11 de abril, a capacitação dos membros do Comitê da Bacia do Alto Jaguaribe. Com o tema “Conhecendo a Minha Bacia”, os integrantes assistiram a apresentações sobre a bacia hidrográfica da região.

As apresentações foram conduzidas pelo gerente regional da Cogerh em Iguatu, Anatarino Torres, que falou sobre as nascentes do rio Jaguaribe. A segunda apresentação do dia foi sobre o tema “Conhecendo a Sub-Bacia Hidrográfica do Alto Jaguaribe”, ministrada pelo coordenador operacional da COGERH de Iguatu, Mardonio Mapurunga.

A sub-bacia do Alto Jaguaribe está subdividida nas regiões dos Inhamuns, Cariri Oeste e Centro Sul. Ela é a maior bacia do Estado, possuindo 24 municípios totalmente inclusos em seu território com mais de 670 mil habitantes. Atualmente são 24 açudes monitorados pela COGERH.

O grupo fez, ainda, uma visita técnica ao açude Arneiroz II, em Arneiroz. O reservatório possui capacidade de 187.700.000 m³, com uma profundidade de 22,30 metros, sendo mais resistente à evaporação que os outros açudes da região devido a sua profundidade e seu volume morto corresponde a 60.000 m³. O açude Arneiroz II é responsável pelo abastecimento da sede de Arneiroz, da sede de Saboeiro por meio de complementação da barragem Caldeirões. Atualmente está sendo construída uma adutora para atendimento da sede de Catarina. Em situações hídricas favoráveis, o açude já chegou a atender o município de Jucás por meio de perenização do rio Jaguaribe.

Estiveram presentes 30 dos 40 membros do Comitê. A regional da Cogerh de Iguatu esteve representada pela coordenadora de gestão, Hewelânya Uchôa, a analista Isabel Cavalcante, os técnicos Naiara Izídio e Gutemberg Fernandes e o Agente de Guarda e Inspeção do Reservatório-AGIR, Genival de Sousa.

 

A Estação de Bombeamento de Itaiçaba (EB-Itaiçaba) está mandando 4,8m³/s de água para o Sistema Metropolitano de Fortaleza, via Canal do Trabalhador. Trata-se de água de chuva, caída na área não-controlada do Rio Jaguaribe, constituindo-se em mais um reforço para a garantia hídrica da RMF com água que iria para o mar, visto que, após Itaiçaba, não há mais barragens para armazenamento. O Chamado Sistema Metropolitano compreende Pacajus, Pacoti, Riachão/Gavião. A operação de bombeamento começou na tarde do último sábado.

“Desde o ano passado, ainda no período de estiagem, havíamos recuperado toda a Estação de Bombeamento preparando esse momento. Felizmente as chuvas estão gerando escoamento no Jaguaribe, o que nos possibilita bombear essa água”, explica o presidente da Cogerh, João Lúcio Farias. Segundo ele, graças ao empenho do governador Camilo Santana, que esteve pessoalmente, por mais de uma vez, no Ministério da Integração à busca de recursos, foi possível a realização dos serviços na Estação de Bombeamento.

“Foi providencial a intervenção do governador. Ele mesmo liderou a comitiva de técnicos do sistema hídrico que conseguiu esses recursos em Brasília, no ano passado. Hoje, estamos colhendo os frutos”, comemora Farias. As obras de recuperação da EB-Itaiçaba custaram aproximadamente R$ 1,05 milhão.

Com o bombeamento de 4,8m3/s da EB-Itaiçaba via Canal do Trabalhador sobe para 12,76m3/s o volume de água transferido de áreas não controladas para a região metropolitana. Isso porque, além do volume bombeado na IB-Itaiçaba, outros 7,96m3/s estão sendo aduzidos a partir da EB-Banabuiú. “Esse aproveitamento, tanto em Banabuiú, quanto em Itaiçaba, só está sendo possível graças aos esforços empreendidos pelo Sistema Hídrico Estadual ainda no ano passado, que preparou o plano de recuperação dessas estações”, destaca João Lúcio.

OBRAS
A justificativa apresentada ao Ministério da Integração Nacional, ainda no primeiro semestre do ano passado, para obter recursos necessários nas obras de recuperação das EBs Itaiçaba, Castanhão e Banabuiú, destacava a necessidade de restabelecer a capacidade operacional dos equipamentos para “possibilitar a transferência das reservas hídricas das bacias hidrográficas do Médio e Baixo Jaguaribe”. E acrescentava: “O volume captado nesse trecho do Rio Jaguaribe será imprescindível para incrementar o volume armazenado nos reservatórios das Bacias Metropolitanas que são responsáveis pelo abastecimento humano da RMF, bem como servirão para reduzir, durante a quadra chuvosa, a demanda sobre o Castanhão”.

 

 A Gerência Regional de Crateús realizou, em parceria com a Secretaria de Recursos Hídricos (SRH) e com o apoio do Comitê da Bacia Hidrográfica dos Sertões de Crateús, Seminário sobre Segurança de Barragens e Cadastro Estadual dos Açudes. O evento ocorreu na última quarta-feira, (11) momento em que foram apresentados aos representantes das instituições e gestores municipais da região dos Sertões de Crateús a Política Nacional de Segurança de Barragens e os Procedimentos para realização do Cadastramento Estadual de Barragens.

Na ocasião, as engenheiras civil Mariana Fontenelle e Fernanda Furtado, da célula de Segurança de Barragens da SRH. proferiram palestra sobre do tema e tiraram dúvidas a respeito do processo de Cadastramento Estadual de Barragens.

Para o gerente regional da Cogerh em Crateús, Rodrigues Júnior, a participação efetiva de todos é fator essencial para o sucesso no cadastramento. “ O sucesso do cadastramento de Barragens no Estado Ceará dependerá não apenas do engajamento da SRH, mas da colaboração de todos que compareceram ao Seminário, pois mais do que a divulgação da existência e importância do cadastramento, os presentes nesse auditório possuem capilaridade e certamente interesse em sensibilizar os empreendedores/responsável pelas barragens para realizarem tal cadastramento”, destacou Júnior.

O evento aconteceu na cidade de Crateús e contou com a participação de representantes das Prefeituras, das EMATERCEs, dos STTRs e do CBH dos Sertões de Crateús. Além de representantes da UFC Campus Crateús, dos municípios de Quiterianópolis, Novo Oriente, Crateús, Independência, Tamboril, Ipaporanga, Poranga, Ararendá e Nova Russas.


Pagina 1 de 328