Projeto Equipamentos de Vídeoconferência

Avalie este item
(3 votos)

O Governo do Ceará elegeu como um de seus projetos estratégicos a criação de infraestrutura própria de fibras ópticas, com o objetivo de prover acesso por banda larga nas principais cidades do Estado, com cobertura inicial de 82% da população. O acesso da população a serviços digitais, como internet, videoconferência, TV Digital, telefonia e celular é ferramenta indispensável para o desenvolvimento econômico do Estado, sendo este projeto, o mais importante de infraestrutura de TIC do Governo, denominado de Cinturão Digital do Ceará (CDC).

O Cinturão Digital trouxe avanços fantásticos em relação ao status anterior dos recursos de comunicação de dados ofertados para a sociedade e Unidades do Governo. Os enlaces Gbps (giga bits por segundo), garantem performance 1000 (mil) vezes superior aos links usados anteriormente (1Mbps), com custos bastante inferiores aos que eram pagos pelo Governo aos provedores de serviços de comunicação de dados. Com a implantação do Projeto do Cinturão Digital, por parte da ETICE como forma de inovar em prol do Estado, várias aplicações estão sendo possíveis, dentre elas, o uso da videoconferência. Em consonância com o Governo do Estado, e como suas Gerências Regionais (Metropolitana, Crateús, Limoeiro, Sobral, Crato, Quixeramobim e Iguatu) já estão conectadas ao CDC, a COGERH resolveu também inovar adquirindo equipamentos de videoconferência.

A videoconferência é uma forma de comunicação interativa e intuitiva que permite que duas ou mais pessoas, que estejam em locais diferentes, possam se comunicar com utilização de voz (audioconferência) e visualização de imagem (videoconferência) em tempo real. Cursos, reuniões, conferências, debates e palestras são conduzidos como se todos os participantes estivessem juntos no mesmo local. O uso da videoconferência possibilita economia considerável de tempo e despesa, ao evitar viagens e deslocamentos desnecessários entre os participantes de uma reunião, além de acelerar a produtividade e o processo de tomadas de decisões. A videoconferência exige um link de dados no mínimo de 512Kbps, requisito atendido pelo Cinturão Digital.

Sendo a COGERH um órgão que interage bastante com a Agência Nacional de Águas, Ministério da Integração, Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e Fundação Cearense de Metereologia (FUNCEME), é bastante comum haver a necessidade de reuniões frequentes entre esses órgãos. Na forma de reunião tradicional, vários órgãos deixam de participar pela necessidade de deslocamento e alocação de tempo. Com o uso da videoconferência não há necessidade de deslocamento e ainda é possível assistir à reunião ocorrida no momento mais adequado da agenda dos participantes. Outras demandas de videoconferência na COGERH são as reuniões com as suas Gerências Regionais (Metropolitana, Crateús, Limoeiro, Sobral, Crato, Pentecoste, Quixeramobim e Iguatu), treinamentos e palestras que são possíveis sem deslocamento. Todos os eventos são possíveis de arquivar, gerando base de conhecimento.

Dessa forma, a COGERH, em Maio/2013, adquiriu equipamentos de videoconferência para a Sede e suas Gerências Regionais, visando melhorar a comunicação e a integração dos órgãos que compõem o Sistema de Recursos Hídricos. A instalação desses equipamentos faz parte do projeto de conectividade da Companhia que contempla, ao todo, 07 (sete) pontos de videoconferência, onde todos já encontram-se instalados e em pleno funcionamento (Sede, Sobral, Quixeramobim, Crateús, Iguatu, Crato e Limoeiro).

Ler 3291 vezes Última modificação em Terça, 18 Agosto 2015 09:15